Início do Conteúdo
A única fonte de sangue para os pacientes que dele necessitam são os doadores. Uma unidade de sangue doada pode ser separada em glóbulos vermelhos ou hemácias, plaquetas, plasma e crio precipitado, beneficiando até quatro pacientes.

Pré-requisitos para a doação
- ter de 16 a 69 anos;
- primeira doação antes dos 60 anos;
- pesar 50kg ou mais;
- ser saudável;
- não estar em jejum;
- apresentar documento de identidade com foto;
- menores de 18 anos devem estar acompanhados de responsável legal.

Impedimentos para a doação
- gravidez ou amamentação;
- doença de Chagas;
- hepatite após os 11 anos de idade;
- diabetes;
- hipertensão;
- comportamento de risco para Aids;
- uso de bebida alcoólica há menos de 12 horas da doação;
- ter doado há menos de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres;
- ter feito tatuagem ou piercing há menos de um ano;
- possuir piercing na boca ou na língua.

Importante
O material utilizado na coleta do sangue é descartável e individual, sem nenhuma possibilidade de transmitir doenças. Antes da doação é realizada uma entrevista clínica com verificação da pressão arterial, temperatura, frequência cardíaca e teste da anemia. A finalidade destes cuidados é preservar a saúde de quem doa e de quem vai receber o sangue.


Doe sangue com responsabilidade
Existe um período chamado janela imunológica, no qual a pessoa está contaminada com algum agente infeccioso (HIV, hepatites, etc.), mas os exames laboratoriais ainda não são capazes de detectar a infecção. O período da janela imunológica pode durar até seis meses.

Entre as doenças que podem ser transmitidas por meio da transfusão estão as hepatites B e C (doenças do fígado causadas por um vírus), a sífilis (doença sexualmente transmissível que leva a lesões nos órgãos sexuais), o HTLV (doença neurológica causada por um vírus que causa paralisia dos membros), a doença de Chagas (transmitida pelo inseto barbeiro e que causa alterações cardíacas e do sistema digestivo) e a Aids (causada por um vírus que incapacita o sistema imunológico).

Por isso, se você acha que sua saúde ou comportamento podem colocar em risco a vida de quem receber seu sangue, não doe.

Reações no doador
Algumas situações podem favorecer reações indesejáveis durante ou após a doação: uma noite mal dormida, estresse e ansiedade, estar mal alimentado e mal hidratado etc. Durante a coleta de sangue ou plaquetas podem surgir algumas reações leves como:
- sensação de desmaio;
- suor;
- formigamento das mãos e pés;
- visão embaçada;
- vômito;
- desmaio.

Cuidados após a doação
- Não fumar por duas horas.
- Deixar o Banco de Sangue somente se estiver se sentindo bem. Se apresentar sintoma de processo infeccioso, até sete dias após a doação, como febre e diarreia, comunicar ao Banco de Sangue imediatamente.

Após a doação, você deve ficar atento, pois até 24 horas podem ocorrer as seguintes reações:
- hematoma: devido ao extravasamento de sangue no local de punção. Se isso ocorrer, aplique gelo;
- formigamento do braço e mão: devido à punção do nervo. Se isso ocorrer, não se preocupe, pois irá melhorar em alguns dias;
- sintomas como suor frio, palidez, fraqueza, tontura, desmaio: você deve baixar a cabeça e respirar profundamente até o mal-estar passar;
- formigamento da mão e espasmos (tipo "câimbra"): você deve respirar pela boca várias vezes dentro de um saco de papel;
- náuseas e vômitos: você deve aplicar compressas frias na testa e, se necessário, tomar medicação.

Se ocorrer algum destes sintomas, comunique ao Banco de Sangue e, se necessário, retorne para atendimento.


Contato
Unidade Básica de Saúde Santa Cecília – 2º andar (entrada pela rua São Manoel, 543)
Atendimento: segunda a sexta-feira, das 8h às 15h, preferencialmente para moradores da Capital e Região Metropolitana. Aos sábados, das 8h às 12h, limitado a 80 doadores.
Telefone: (51) 3359.8504